7 criadores brasileiros redefinindo a criatividade em 2018

7 criadores brasileiros redefinindo a criatividade em 2018

*Publicado originalmente na AFROPUNK.

Eles deixaram sua assinatura em 2017 criando conteúdo e projetos que causaram impacto na maneira como as pessoas se relacionam com a publicidade, com as causas sociais e testaram novas maneiras de criar conteúdo que tenha relevância na vida das pessoas. Conheça agora 7 criadores de conteúdo que você precisa acompanhar em 2018.

MOOC

MOOC – Photo by Miro / ELLE

Nascido em 2016, o coletivo MOOC começou 2017 dando seus primeiros passos de amadurecimento enquanto projeto. Eles rapidamente perceberam a carência de autenticidade no mercado criativo quando o assunto é representatividade, e conectaram e co-criaram projetos impactantes com Converse, C&A e Skol, entre outras grandes empresas. Com o MOOC, pela primeira vez algumas das maiores marcas brasileiras falaram da importância da diversidade em suas campanhas de TV.

Nesse ano, eles estão se assumindo como empresa e ampliando seus trabalhos com foco em ressignificar a ideia do que é ser um jovem negro e mostra-los que podem atingir patamares mais altos.

Jaciana Melquíades

Jaciana Melquíades. Photo by @adrnoliveira

Em 2017 ela começou uma empresa, a Era Uma Vez o Mundo, que acredita no poder da imaginação das crianças negras e as ajuda a se verem positivamente em seus bonecos. Quando muitas pessoas estavam apenas reclamando e dizendo que a grande indústria de brinquedos não tem representatividade, ela criou um empresa que coloca a criança negra no centro de tudo, inclusive no desenvolvimento dos brinquedos.

Monique Evelle

Photo by Reserva

Criadora do Desabafo Social, organização que utiliza a comunicação e novas tecnologias para promover Educação em Direitos humanos através de formação e produção de conteúdo, em 2017 Monique Evelle viu seu trabalho ganhar ainda mais projeção se tornando repórter da maior emissora de TV brasileira e trazendo um olhar mais humano para o conteúdo jornalístico da TV.

Em 2018 ela está transformando o Radar, que era um projeto pessoal de mapeamento de talentos criativos, em um ponto de encontro de ideias e pessoas criativas que possibilite conexões transformadoras que apontem para um outro futuro.

Diane Lima

Diane Lima. Photo by Alessandra Marimon

Curadora e Diretora Criativa, natural da Bahia, Diane Lima fez a curadoria da exposição Diálogos Ausentes, a primeira expo dedicada a cultura afro-brasileira em 30 anos de uma das mais importantes instituições culturais do país, o Itaú Cultural, transformando-se em um marco para a produção cultural nacional por ampliar a discussão sobre as nossas ausências nas galerias, museus e espaços culturais.

Além de vários outros projetos, ela realizou mais uma edição do AfroTranscendence, programa de imersão em processos criativos que vem desenvolvendo desde de 2015,  referência pioneira no Brasil a tratar sobre processos de criação para entender a cultura afro-brasileira criativa contemporânea. Em 2018 ela vai tornar o AfroTranscendence um programa itinerante, o que vai culminar em um programa de residência na Alemanha.

Egnalda Côrtes

Egnalda Côrtes. Photo by @tatianyleite

Egnalda Côrtes arrasou em 2017. Ela criou a Côrtes Assessoria, a primeira assessoria para criadores de conteúdo negros do Brasil, e agora até criadores não-negros estão procurando seu serviço já que ela realizou uma façanha: encontrar e conectar criadores com até 300 mil seguidores que nunca fizeram uma parceria com marcas. Em 2018 ela quer ampliar o trabalho da Côrte Assessoria para atender mais criadores e encorajar o investimento de grandes empresas em iniciativas criativas da comunidade negra.

Apolinario

Victor Apolinário. Photo by Hick Duarte

Ano passado, Victor Apolinário, da marca Cemfreio, subverteu seu próprio desfile e fechou a São Paulo Fashion Week questionando padrões de beleza e a visão elitista da moda. Sua equipe na SPFW tinha 90% de pessoas negras, algo raro e que ele comemora com razão. Além disso, Apolinário encorajou a galera da moda a ter uma visão mais crítica e a expor os grandes players que querem falar de negritude e diversidade, sem ter diversidade em suas próprias equipes ou até cometendo atos racistas.

Nesse ano, Apolinário está abrindo uma sede física que vai funcionar como casa criativa para fomentar ainda mais projetos culturais realizados por quem antes não tinha espaço nenhum.

Konrad Dantas

Konrad Dantas. Photo by Gabriel Zerra.

Konrad Dantas, mais conhecido como Kondzilla, é um dos maiores responsáveis por transformar o funk brasileiro em gênero ouvido mundialmente e que hoje navega em diferentes espaços na cultura e na mídia brasileira. Em 2017 ele se tornou o maior criador brasileiro no YouTube e o quarto maior no mundo, fortalecendo a cultura das periferias e encorajando o talento e a criatividade da mulecada negra.

 

Previous Designers negros: a potência criativa à altura dos desafios do próximo século
Next Jovens viajam o Brasil atrás de inovações políticas nas periferias

About author

Robin Boateng
Robin Boateng 28 posts

Robin Boateng é designer, criador da Creatin, gestor de conteúdo do Afroguerrilha e colaborador da AFROPUNK. Instagram: @robin.boateng

View all posts by this author →

You might also like

Gênero e Sexualidade 0 Comments

Kilombey convida atores amadores para canal negro e LGBT no YouTube

A Kilombey, com apoio do Afroguerrilha, vai lançar um projeto de videos para a internet e está recebendo inscrições de atrizes e atores amadores. O projeto é focado na comunidade

Artes Visuais 0 Comments

Conheça o Studio 22, o mais novo hub de cultura e estética negra de São Paulo

Muito mais do que um salão de beleza, o Studio 22 Pan Africano de Arte é um espaço que reúne cultura e estética preta com diferentes empreendedores.  Quem está por traz

Economia 0 Comments

Creatin cria workshop gratuito de Design e Gestão de Marcas para empreendedores negros

Em um mercado impactado por mudanças tão constantes, é comum que empreendedores negros, na maioria das vezes sediados em regiões periféricas, se percam na hora de definir táticas e estratégias de

1 Comment

  1. Ronaldo Santos
    fevereiro 15, 13:09 Reply

    Gostei do artigo, senti falta dos links para as páginas!

Leave a Reply